PARANAGEO

17/03/15 - UFPR organiza Olimpíada Brasileira de Cartografia para alunos do Ensino Médio

A ideia é ofertar acesso ao conhecimento e ferramentas para um ensino dinâmico e participativo

Alunos do Ensino Médio, de escolas das redes pública e privada, e com idade entre 14 e 18 anos, podem participar da I Olimpíada Brasileira de Cartografia (OBRAC). Interessados em se inscrever nesta competição nacional, que tem entre seus objetivos despertar — na escola – o interesse pelas Ciências, e formar recursos humanos para atuação na área da Cartografia e das Geotecnologias — têm prazo até o dia 14 de abril.
Para participar a escola deve efetuar a inscrição no endereço eletrônico. Antes, porém, deverá formar um grupo com quatro alunos e escolher um professor, preferencialmente de Geografia, para ser o responsável pela equipe. Feito isso, o educador deve enviar o seu comprovante de vínculo com a escola e a declaração de matrícula de cada aluno, para o e–mail obrac2015inscricao@gmail.com
Luiz Veiga, professor do Setor de Ciências da Terra da UFPR, explica que a Olimpíada será executada em duas etapas: na primeira, os participantes serão submetidos a questões relacionadas à Cartografia. Elas estarão disponíveis aos inscritos no site de inscrição, via plataforma Moodle. Na segunda etapa, cada equipe deverá realizar uma atividade prática que será proposta (mapas digitais ou analógicos, instrumentos entre outros) e enviar para análise de uma comissão de avaliação.
Conferência Internacional
Três equipes serão selecionadas nessa fase e participarão da etapa final no Rio de Janeiro, onde realizarão um conjunto de atividades práticas, entre elas, participação na corrida de orientação, que ocorrerá durante a Conferência Internacional de Cartografia (agosto de 2015). A vencedora desta fase será a campeã da I Olimpíada Brasileira de Cartografia.
Veiga destaca que a promoção do evento é uma parceria entre a UFPR e as universidades federais Fluminense, Tecnológica do Paraná, e da Bahia. A intenção destas instituições organizadoras, é, também, propiciar aos professores oportunidade de acesso ao conhecimento e ferramentas para o ensino dinâmico e participativo em áreas que abrangem o conteúdo cartográfico, como geografia e matemática; e promover a socialização de professores e alunos através de atividades coletivas.

Fonte: MundoGeo